Blog

Chegando no Paraíso: o arquipélago de Phi Phi, na Tailândia

Chegando no Paraíso: o arquipélago de Phi Phi, na Tailândia

Se você acompanhou os relatos da nossa viagem pelo Sudeste Asiático já deve ter percebido que o início foi recheado de cidades, templos e muuuito calor (com um dress code nada amigável). Então vocês conseguem imaginar o quanto a gente estava desejando uma praia! E mais, já imaginávamos o quão maravilhoso seria desembarcar na ilha dos sonhos, tão comentada pelo mundo todo, a joia da Tailândia, Phi Phi!

E ouso dizer, parece impossível, mas esse lugar superou todas as expectativas mais irreais que nós tínhamos. Não sei explicar, mas o lugar parece que tem uma aura diferente, que te deixa meio embobecido, sem acreditar em tamanha beleza, e ainda mais, a vibe do lugar é única, como nunca tinha visto em nenhum outro no planeta até então!

Phi Phi Don
Phi Phi Islands

 

Chegamos em Phi Phi vindo de Chiang Mai, ao norte da Tailândia. Conseguimos um voo direto chegando pelo aeroporto de Puket, mas não paramos na cidade. Do aeroporto já fomos direto ao Rasada Pier, de onde saem os ferries ao paraíso.

O arquipélago de Phi Phi (se pronuncia Pi Pi mesmo!) é formado por algumas ilhas, cujas duas maiores são Phi Phi Don e Phi Phi Ley. A primeira, que é habitada, é onde ficam os hotéis e todo o movimento. Já Phi Phi Ley é uma reserva ambiental, onde apenas se pode visitar durante o dia. Outras ilhas menores do arquipélago são Bamboo Island e Mosquito Island, com praias belíssimas.

Mesmo em Phi Phi Don há várias limitações aos turistas. No centrinho da ilha não é permitido o tráfego de carros, apenas vimos bicicletas e muitos carrinhos de mão (carregando as malas dos turistas). Nas partes mais isoladas da ilha você encontra algumas motos, mas não vimos carros.

As ilhas Phi Phi ficaram famosas pelo filme “A praia”, que foi gravado na praia de Maya Bay, em Phi Phi Ley. A fama da praia atingiu limites inimagináveis, e o local passou de totalmente inexplorado para o estado de turismo predatório. Infelizmente por conta disso o governo tailandês suspendeu por tempo indeterminado o acesso de turistas à praia, que somente pode ser vista de dentro dos barcos.

Cena do filme “A praia” – https://cinemaedebate.com/2017/05/09/a-praia-2000/

A CHEGADA

Para chegar em Phi Phi você precisa pegar um ferry, que geralmente sai de Puket ou Krabi (cidades que possuem aeroporto). Os ferries chegam no Pier de Tonsai, em Phi Phi Don. Nós chegamos pelo aeroporto de Puket, e compramos o ticket do ferry na hora. Também existem ferries direto para Railay Beach, outro famoso destino turístico. Pegamos ele após nossos dias em Phi Phi.

A maioria dos hotéis do centro da ilha contam com o serviço de “acompanhamento” do hóspede do pier de chegada até o hotel, sendo que o pessoal carrega sua mala até lá. Porém, alguns hotéis ficam em áreas mais isoladas da ilha, e só são mais facilmente acessíveis por barco. Neste caso, você terá que descer do ferry e procurar um “táxi” (que na verdade é um barco chamado “long tail“), isso claro se o transfer não já estiver incluído na sua reserva.

Tonsai – Phi Phi Don

A nossa chegada na ilha foi um pouco confusa, pois o pessoal do nosso hotel ficou de nos buscar no pier mas não os encontramos, e o marido encasquetou de ir andando por conta própria e não espera-los… O resultado foi nossa primeira lição em Phi Phi: não confiar 100% no Google Mapas! Existem atalhos não mapeados pelo aplicativo, e demos uma volta maior e desnecessária até acharmos nosso hotel.

 

HOSPEDAGEM

Phi Phi tem opções de hospedagem para todos os bolsos e estilos. Aqui você vai encontrar hotéis 5 estrelas, com piscina com borda infinita, pousadas mais simples, hostels e casas de hospedagem locais. Há hotéis focados em festas, pool parties e diversão, outros em regiões mais tranquilas, longe do agito (e que agito!) da ilha.

As regiões de hospedagem em Phi Phi podem ser divididas assim:

– Hotéis localizados no centro da ilha, os quais podem estar mais próximos do Pier (na Tonsai Bay), ou na praia oposta, Ao Lo Dalam, onde ocorrem as festas noite adentro. Em ambas as regiões é possível acessar o hotel a pé. Os hotéis localizados na Tonsai Bay são mais tranquilos à noite, enquanto a região oposta é ideal pra quem vai à ilha pensando nas festas.

Praia de Ao Lo Dalan no fim da tarde

– Hotéis mais exclusivos, que podem estar em praias mais isoladas como Long Beach, Loh Lana Bay ou Loh Ba Kao Bay. Geralmente são hotéis 5 estrelas, com todas as mordomias e muita tranquilidade. Para chegar nestes hotéis, um barco é geralmente necessário. Então, caso sua escolha for um hotel mais tranquilo, verifique com muito cuidado a necessidade de acesso por barco, bem como se o hotel oferece o serviço gratuitamente e com frequência.

Nossa escolha de hotel foi o PP Princess Resort. Apesar de ficar localizado na “praia das festas”, ele fica um pouco mais afastado da parte principal do agito, o que possibilita uma boa noite de sono pra aquela noite que não rolar balada! Mas mesmo assim, era possível ouvir um pouco do burburinho dos djs do nosso quarto.

O PP Princess é um hotel 4 estrelas localizado de frente para o mar, com piscina e bar colados na areia. É exatamente aquela imagem de sonho que você visualiza quando imagina férias na Tailândia!

PP Princess Resort

A piscina onde ocorre a pool party

 

Confesso que de início achei que o hotel não era pro nosso bolso, mas como começamos as pesquisas com bastante antecedência, comecei a comparar os preços na região e conseguimos uma ótima promoção no Princess, que o deixou praticamente com o mesmo preço dos demais. E qual não foi a nossa surpresa quando recebemos um e-mail informando que haveria uma pool party no dia da nossa chegada? A pool party do PP Princess é mais “tranquila” que a famosa que ocorre no Hostel Ibiza, onde a pegação rola solta!

 

Pool Party PP Princess

Nosso quarto era super bem localizado, com vista para a piscina e o mar, o tamanho era maravilhoso e a varandinha, perfeita!

Quarto PP Princess

O café da manhã é incluído e tinha muitas opções de comida tanto oriental como ocidental. No mesmo local, à noite funcionava um restaurante no esquema buffet por pessoa, também com boa variedade de culinárias.

Veja mais opções de hotéis e pousadas em Phi Phi aqui.

 

O QUE FAZER EM PHI PHI?

O que mais escuto dos viajantes que vão a Phi Phi (incluindo nós), é que deveriam ter ficado mais tempo na ilha. Isso porque a variedade de coisas para fazer por lá é imensa. Só curtir o centrinho da ilha já te faz querer ficar um mês inteiro por lá!

 

PHI PHI DON

A ilha principal do arquipélago, onde estão os hotéis, restaurantes, bares, casas noturnas, ringues de muai thay, além das praias mais badaladas. Essa ilha tem programas pra vários dias, mas as pessoas acabam curtindo aqui apenas as noites, enquanto os dias são passados nas praias e ilhas mais distantes.

Mas não deixe de reservar um tempinho para passear pelas ruelas do centrinho, comprar souvenires, provar a deliciosa culinária tailandesa e conhecer muitos viajantes com uma vibe maravilhosa! Encontramos muuuitos brasileiros por ali, alguns moram na ilha e até fazem passeios com outros turistas brasileiros!

Alguns restaurantes que provamos e indicamos são o Gran PP Arcade (com comidas orientais e ocidentais), o Acqua (um pouco mais caro), e o Public House, um pub com comida ocidental, perto da parte animada da praia.

Fried rice no abacaxi – PP Arcade

O clima dos hostels também é incrível! O mais famoso da ilha é o Ibiza, que fica na beira da praia das baladas, Ao Lo Dalam. Lá ocorre a pool party mais famosa da Tailândia, com muita gente bonita, música e pegação!

Aos aventureiros, há ainda a opção das trilhas para os view points, que rendem um ótimo passeio. Há também trilhas para algumas praias mais isoladas, como a Long Beach. Infelizmente o tempo não nos permitiu conhece-las, vai ficar pra próxima… Atenção: é sempre bom levar na sua mala um repelente, em algumas áreas da ilha os mosquitos incomodam bastante!

 

A FAMOSA NOITE DE PHI PHI

Durante a noite, as ruas do centrinho ficam ainda mais animadas. Há vários bares com djs nos arredores da praia das festas, e lembro de ter visto um bar com música ao vivo, um pop rock de ótima qualidade, o Kongsiam.

Mas o movimento maior da ilha durante a noite ocorre bem no centro da praia de Ao Lo Dalam. Os bares localizados na beira da praia se enchem de decorações em neon, capricham no som, preparam os malabares, e pouco a pouco começam os shows de cordas e fogo, com shots gratuitos de bebida pra quem se arriscar no perigo! Os turistas pintam o corpo com tintas fosforecentes, e para animar ainda mais são vendidos os famosos baldinhos, aqueles que as crianças brincam na praia, só que completamente cheios de todo tipo de bebida que você imaginar! Mas cuidado, muita gente passa mal com essa “brincadeira” nada de criança! Se resolver encarar, tenha cuidado com a procedência do baldinho, e preste bem atenção no que colocam dentro dele!

Tudo isso na beira de uma praia paradisíaca, com gente do mundo todo! Realmente uma experiência única. Única, mas que se repete TODAS AS NOITES!

Noite em Phi Phi Don

 

Noite em Phi phi

 

Lema de vida!

A música para religiosamente às 2h da manhã, independentemente da quantidade de turistas frustrados querendo mais. Mas vai por mim, a essa hora o melhor mesmo é dormir pra curtir os passeios do dia seguinte!

 

OS PASSEIOS

Nós ficamos em Phi Phi 4 dias e 3 noites, o que foi muito, muito pouco! Isso porque o primeiro e o último dia acabam ficando comprometidos com as viagens de ferry, então só tivemos dois dias despreocupados para fazer os famosos passeios de barco pelas praias da região. Nós dividimos os passeios assim: Um dia para as praias ao sul do centrinho, e um dia para as ilhas do norte. Muita gente faz esse mesmo esquema:

 

– Praias/ilhas do Sul:

As praias do sul são mais próximas do Pier de Tonsai, de onde saem os passeios. Isso torna o long tail o melhor transporte, pois apesar de serem mais lentos, tem todo aquele charme dos barquinhos tailandeses que a gente tanto sonha né?

Long Tails em Maya Bay

O passeio pode ser contratado com antecedência, nas diversas lojas turísticas do centrinho, ou até mesmo na hora. Mas indico que apenas fechem o passeio quando estiver na ilha, para evitar imprevistos e entender melhor o esquema. Nós, de posse dos horários de algumas empresas, fechamos o passeio na hora mesmo, um long tail que sairia um pouco mais tarde, por volta das 11h. Ideal pra quem curtiu a noite anterior né?

O passeio inicia pela Monkey Beach, (a parte menor da praia, não há muito espaço para banho) e depois segue para a ilha sul do arquipélago, Phi Phi Ley, onde para inicialmente na Pileh Lagoon, e depois vai para a Maya Bay. Na verdade ia, porque agora infelizmente o acesso à praia mais famosa da Tailândia está suspenso por tempo indeterminado.

 

Chegando na Monkey Beach
Monkey Beach
Monkey Beach

 

A Maya Bay é a praia mais famosa da Tailândia, tendo ganhado sua fama do filme “A Praia”, com Leonardo Di Caprio. Ela é escondida por um arco de rochas que formam um cenário surreal.

 

Maya Bay

De fato, pela nossa visita foi possível entender o motivo da suspensão do acesso à praia. Não havia qualquer limitação ao número de turistas que acessavam a praia, e a lotação por volta de meio dia, quando chegavam os grandes barcos dos chineses, era inacreditável. Realmente, dessa forma a situação estava insustentável!

 

Maya Bay ao meio dia

A praia é de fato lindíssima, quando se abstrai a multidão.

Maya Bay

 

Mas esperamos que a natureza se recupere logo e que o acesso seja liberado, ainda que com um controle maior por parte das autoridades ambientais.

Após o retorno da Maya Bay, paramos ainda em alto mar para nado com snorkel, e depois retornamos ao Pier.

 

– Praias/ilhas do Norte:

Para visitar as ilhas do Norte, como Mosquito Island e Bamboo Island, as distâncias são maiores. O passeio feito no long tail duraria mais de uma hora, e o balançado do barquinho não é nada agradável… Por este motivo, as empresas geralmente oferecem o passeio em lancha rápida. Há opções de passeios em grupo ou frete da lancha por um prazo determinado. Como estávamos com alguns amigos, resolvemos fechar uma lancha para 6 pessoas. O preço ficou só um pouco mais caro que o do passeio coletivo, e tivemos a liberdade de escolher nosso itinerário, horários e mudar os planos sem maiores complicações!

 

Passeio de lancha em Phi Phi

Apenas um detalhe, a lancha é REALMENTE rápida! Se segurem bem, e quem não gosta de emoções fortes por favor avisem o capitão!

Começamos o passeio pela ilha mais distante, Bamboo Island. Chegamos na ilha antes dos chineses, o que foi maravilhoso!

Bamboo Island

A Bamboo Island foi a minha favorita de Phi Phi. O tom de azul do mar é o mais forte que vi na Tailândia, a areia branquinha e ondas leves tornam o lugar um pequeno paraíso!

Bamboo Island
Bamboo Island

Mas, como tudo que é bom dura pouco, alguns minutos depois chegaram umas 6 lanchas lotadas de chineses, o que em segundos deixou a ilha saturada… Então, hora de partirmos para nossa próxima parada.

Fizemos uma parada para snorkel, em um local com muitos peixes, até um grande cardume de peixes grandes nós vimos.

 

Snorkeling em Phi Phi

 

Delícia de mergulho!

 

 

Neste local nós também almoçamos, dentro do barco mesmo. O prato foi preparado pela própria empresa, era um arroz frito com frango, bem tranquilo.

A última parada, já na volta ao Pier, foi a Monkey Beach chamada “verdadeira”, que é a parte da praia com mais área de banho, areia, e muitos macacos!

 

Monkey Beach

O passeio que contratamos tinha a duração de 4 horas, e chegamos de volta ao Pier por volta de 2h da tarde, a tempo de aproveitar a piscina do hotel.

Nossos dias em Phi Phi foram poucos mas intensos! E voltar nesse paraíso já está nos planos, com certeza!

Até a próxima!!

Leave a comment