terça-feira, 15 de abril de 2014

Lollapalooza 2014

Mil perdões pela demora, (infelizmente o blog ainda não paga minhas contas! rs) mas como prometido, vou fazer um relato de minha experiência no Lollapalooza 2014!



Eu e o marido resolvemos ir ao festival pela primeira vez este ano, e como já não somos mais assim tão jovens (rs), preferimos ir só um dia. O escolhido foi sábado, por ter o maior número de atrações que gostamos.

Como resolvemos ir de última hora, a logística ficou bem complicada (hotéis e passagens já estavam mais caros...). Então resolvemos fazer um "quase bate-volta" saindo de Brasília. Compramos a passagem para sábado de manhã, chegando em SP às 11:30, e a volta no domingo à tarde. Reservamos o Hotel Ibis Congonhas, uma mão na roda, pois basta atravessar a passarela saindo do aeroporto e já estamos no hotel! Como o festival começava ao meio dia com previsão de acabar as 11h da noite, estava tudo bem tranquilo.

Na ida nosso voo atrasou uma hora, e ao chegarmos no hotel enfrentamos uma fila nada básica no check in, o que nos atrasou um pouco. Mas sem problemas, pois as melhores bandas só iam começar as 17h. Descansamos um pouco, almoçamos no próprio hotel, e saímos 15h pro festival.

Havia a opção de uma linha ônibus normal que levava ao Autódromo, mas estavam todos muito lotados, e num calor de 30 graus! Então resolvemos encarar o táxi mesmo. A corrida custou 49 reais, e descemos em frente ao portão. Mas o trânsito não estava ajudando muito.. Demoramos mais de uma hora para chegar. Com mais o tempo da fila, conseguimos entrar as 16:30!

O show ocorreu no Autódromo de Interlagos. O local era visivelmente bem amplo, eram 3 palcos bem afastados entre si, com muitas barracas de comida e bebida. Mas sinceramente, a organização não funcionou muito bem na prática... Acho que pelo grande número de pessoas, que lotavam a capacidade dos palcos quando a banda era conhecida.

As filas para conseguir comprar as fichas estavam demorando quase uma hora, e o deslocamento entre os palcos estava muito, muito ruim! Os espaços de passagem foram delimitados e eram muito estreitos, imaginem uma multidão tentando sair de um palco para outro do outro extremo, toda de uma vez! Definitivamente, não funcionou... Muita gente não conseguiu ver as bandas que queria nessa confusão.

Bom, voltando à parte boa da coisa! rs.. A primeira banda que vimos foi a Imagine Dragons. Ainda bem que eles atrasaram uns 15 minutos, que foi o tempo que precisamos pra comprar as benditas fichas e ir ao palco. Conseguimos chegar bem perto inclusive, foi ótimo! Adorei o público, bem eclético, muuuitas crianças com os pais, famílias inteiras cantando todas as músicas, achei o máximo!

Imagine Dragons - Radioactive

Criançada curtindo o show!


Quando a banda acabou, já estava começando o show da Lorde, que era no palco do lado exatamente oposto ao que estávamos. E como a gente estava na frente, bem, é de se imaginar o tempo que demoramos pra chegar lá.. Mais de meia hora! Chegamos quase no fim do show, e nem arriscamos entrar muito na confusão, assistimos de longe mesmo. Mas por sorte, as músicas que eu conhecia ficaram pro final, e consegui ver bem a moça pelo telão. Ela é mesmo ótima!



Após este show, nossa ideia era ver o show do Nine Inch Nails, mas eles iriam tocar lááá naquele primeiro palco, então descartamos logo de cara, pois nossa prioridade era o show do Muse, e a gente queria ver de perto!

Então aproveitamos para ir ao banheiro (fila) e comer alguma coisa (mais e mais fila), o que nos demorou uma hora ao todo.

A intensão do festival era até boa, havia até uma "Tenda Gourmet", com chefs famosos da cidade, mas novamente a quantidade de gente tornou a coisa insustentável... Mal dava pra enxergar as comidas, comprar então, haja paciência!!

Como vocês podem ver, a enorme quantidade de gente e as distâncias a serem percorridas nos deixaram com pouco (ou quase nenhum) tempo livre para, digamos, descansar! Sem brincadeira, acho que me sentei por 3 minutos durante as quase 8 horas de festival! 

Seguimos então para o palco principal e "cavamos" um lugar legal para assistir ao Muse. A banda atrasou um tempinho razoável (ou pelo menos pareceu para a trintona aqui que já não aguentava de tanta dor na lombar!!), e entrou tocando de cara suas músicas mais "pesadas". Nos sabíamos que o vocalista estava supostamente com uma gripe e talvez nem conseguisse cantar direito... Talvez isso tenha explicado a ausência de tantas músicas famosas, que eles tocam em todos os shows, e a prevalência de músicas mais graves e instrumentais.

Supermassive Black Hole, uma das minhas preferidas, ficou de fora... Mas por outro lado, a emoção de escutar Madness e Knights of Cydonia no meio daquela galera foi indescritível!! Nesta última, que fechou o show, a galera distribuiu placas com partes da letra, ficou lindo no vídeo!!



Ao final do show (que era o último), por volta das 23:30, tínhamos ainda pela frente o desafio da volta pra casa... Como estávamos novamente na frente do palco, até conseguirmos sair do local seria impossível conseguir algum táxi, então nem nos apressamos... Pelo contrário, esperamos a multidão sair, tentamos comer alguma coisa com mais calma, e então saímos, rumo à estação de trem que (aleluia!) estava funcionando. A ideia era descer numa região mais central e de lá buscar um táxi, sem competir com o festival inteiro. E, tirando o aperto básico pra entrar na estação, claro, deu super certo, descemos em Morumbi e na saída da estação tinha um táxi parado só nos esperando! rss

Bom, a conclusão de lollapaloozetes de primeira viagem foi: o espaço definitivamente não suportou a quantidade do público. Entre um lugar mais amplo e com lama (que pelo que ouvi falar foi o do ano passado) e uma lata de sardinha seca, fico com a lama, com certeza!! E pra quem tá pensando que eu não sei o que estou dizendo, vai aí uma foto do Leeds Festival, no Reino Unido, que ocorre num pântano (rs), mas que é muito mais bem organizado e planejado, na minha opinião!!

Leeds Festival 2013: Lama, chuva e espaço à vontade!

Mas, apesar dos pesares, tenho que confessar: valeu a pena, e eu iria de novo com certeza!! O que a gente não faz pelas nossas bandas do coração hein!! rsss

Até a próxima!


Por: Marcela Silva Bezerra



2 comentários:

  1. Legal!!! Vale a experiência! Pelo o que percebi, acho que o Rock in Rio vale mais a pena pela organização!
    Beijos :*

    ResponderExcluir
  2. eu achei os portoes entre os setores muito apertado

    ResponderExcluir